domingo, 21 de fevereiro de 2010




O Cárdias
O CÁRDIAS É O CENTRO MAGNÉTICO DO CORACÃO.
Este
Centro se acha maravilhosamente descrito nos versículos 22 a 27 do SHATCHAKRA
NIRUPANA. Vejamos: “O lótus do coração é da cor da flor BANADURA e em suas doze
pétalas estão as letras KA THA, com Bindhu sobre elas, de cor vermelhão. No
pericarpo está o hexagonal Vayu Mandala de cor esfumaçada e, em cima, o Suryva
Mandala com o Trikona, que reluz como se estivesse dez milhões de fulgurantes
raios em seu interior. Sobre ele está o Vayu Bija, da cor da fumaça, sentado em
um antílope negro, com quatro braços e empunhando o acicate (ANGKUSHA)”. “No
regaço do Vayu Bija está Isha, o de três olhos. Como Hangsa (Hangsabha),
estende os braços com gesto de outorgar dons e desvanecer o temor. No pericarpo
deste lótus e sentada num lótus está Shakti Kaline. Tem quatro braços e trás o
laço corrediço (Pasha), a caveira (Kapala) e faz os sinais de outorgar dons e
desvanecer o temor. É de cor dourada, com vestimentas amarelas, adornadas com
toda classe de jóias e uma grinalda de ossos. Seu coração está suavizado com
néctar. No meio do Trikoma está Shiva na figura de Vana-Linga com a Meia Lua e
Bindu em sua cabeça. É da cor de ouro. Seu olhar é jubiloso e denota impetuoso
desejo. Debaixo dele está Hangsa, semelhante a um JIVATMA. É como a tranqüila
chama de uma lâmpada. Debaixo do príncipio deste lótus está o lótus vermelho de
OITO PÉTALAS COM A CABEÇA  VOLTADA PARA
CIMA”.
“Neste
lótus vermelho está a árvore Kalpa, o enjoado altar com toalha e adornado com
bandeiras. É o lugar do culto mental”.
A
descrição indostânica deste chacra é maravilhosa. Menciona-se o número de
pétalas, o princípio do ar (vayu), Shiva, a força sexual com seu lingam e a
meia lua, etc. Assinalando o coração como o ALTAR DO CULTO MENTAL, o centro
maravilhoso da meditação. Sobre o transcrito parágrafo indostânico, podem ser
escritos muitos volumes.
O
CÁRDIAS é o centro magnético relacionado com as viagens astrais. Quem quiser
conquistar o poder de SAIR EM CORPO ASTRAL á VONTADE deve MUDAR, TOTALMENTE, SEU
TIPO DE VIBRAÇÃO. ISTO só é possível, desenvolvendo o CÁRDIAS.
A
saída em astral é bem mais EMOTIVA E SENTIMENTAL. O frio intelecto nada tem a
ver com as SAÍDAS EM CORPO ASTRAL. O cérebro é LUNAR. O coração é SOLAR.
Para
sair à vontade em corpo astral, necessita-se da EMOÇÂO SUPERIOR. Certo tipo de
EMOTIVIDADE e SENTIMENTO, uma SUPERSENSIBILIDADE muito especial e sono
combinado com a meditação. Estas qualidades somente são adquiridas com o
desenvolvimento do CÁRDIAS.
O
SHIVA SAMHITA, falando0 sobre o CÀRDIAS, diz; “ O iogue adquire imensos
conhecimentos; conhece o passado, o presente e o porvir; tem clariaudiência e clarividência;
e pode ir pelos ares para onde lhe agrade. Vê os ADEPTOS e as DEUSAS IOGUES;
obtém a faculdade chamada KHECHARI e vence as criaturas que se movem no ar”.
“Quem medite, diariamente, sobre o culto BANALINGA, indubitavelmente, logrará
as psíquicas faculdades chamadas KHECHARI (MOVER_SE PELOS ARES EM CORPO ASTRAL,
OU ADQUIRIR, TAMBÉM, O PODER DE PÔR O CORPO EM ESTADO DE JINAS) e BHUCHARI (IR,
À VONTADE, POR TODOS OS ÂMBITOS DO MUNDO)”.

PRÁTICA
O
devoto deve CONCENTRAR-SE em seu coração, imaginando que ali há raios e
trovões; nuvens que voam, perdendo-se no ocaso, impulsionadas por fortes
furacões. Imagine  muitas águias voando
por esse espaço infinito que está dentro, muito dentro do seu coração. Imagine
os bosques profundos da natureza, cheios de sol e de vida; o canto dos pássaros
e o silvo doce e aprazível dos GRILOS do bosque. Adormeça, imaginando tudo
isto. Imagine, agora que no bosque há um trono de ouro, onde está sentada a
DEUSA KAKINE, uma mulher muito divina. Adormeça, meditando em tudo isto,
IMAGINANDO tudo isto. Pratique uma hora diária; e se praticar duas, três ou
mais horas diárias, tanto melhor. Pode praticar sentado num cômodo sofá, ou
deitado no solo, ou em sua cama, com os braços e as pernas abertas para a
direita e para a esquerda, na forma da estrala de cinco pontas. O sono deve ser
combinado com a meditação. Deve haver muitíssima paciência. Com paciência infinita
são alcançadas estas maravilhosas faculdades do CÁRDIAS. Os poderes não
conseguidos brincando; tudo custa. Nada nos é dado de presente.

domingo, 14 de fevereiro de 2010





Observação de si mesmo!

Em nossos assuntos passados, falamos da necessidade de eliminar os nossos defeitos psicológicos, que é importante estar atentos em nosso interior, hoje vamos compreender melhor essa questão de como fazer para conhecer esses defeitos.
Sabemos que jamais vamos eliminar um inimigo sem saber que ele existe, por isso para eliminá-lo, precisamos conhecê-lo, e o único método de conhecer esse inimigo dentro de nós é através da observação de si mesmo.
Esta observação de si mesmo, consiste em nos dividir em dois: Observado e Observador. O observado é o Ego ou conjunto de defeitos que existem dentro de nós, são o nosso verdadeiro inimigo, as trevas em nosso interior. O observador é a nossa essência, ou seja, os 3% de virtudes em nosso interior, a própria luz dentro de nós. O observado tem que ser sempre passivo e o observador ativo. Hoje o Ego é muito ativo dentro de nós e nossa essência é passiva. Para torná-la ativa, temos que fazer um super esforço, pois essa Auto-Observação está atrofiada. À medida que vamos pondo em prática essa técnica de nos dividir em dois, vamos desatrofiando essa auto-observação e ao desatrofiar essa auto-observação, vamos compreendendo melhor o mau que esses defeitos fazem dentro de nós, vamos então sentindo cada vez mais  necessidade de eliminá-los, de nos livrarmos totalmente desses inimigos.
O observador tem que estar atento sempre nos nossos 5 sentidos, principalmente, mente, coração e sexo.
Temos que estar sempre vigilantes, pois só assim vamos nos conhecendo e a medida que vamos nos conhecendo, vamos tendo mais força para trabalhar com a morte psicológica.
A vigilância sobre nós mesmos implica num estudo silencioso e sereno de todos nossos defeitos psicológicos, sejam eles; emoções, pensamentos, palavras, etc. E é na relação com nossos semelhantes que  os defeitos escondidos vão aflorando espontaneamente, por isso temos que viver no mundo físico, que é a grande escola, o grande ginásio psicológico. Muitas vezes queremos viver sozinhos, achando que vamos ter paz, tranqüilidade, porém isso não acontece, devido a milhares de defeitos que se manifestam dentro de nós, mesmo que estejamos completamente sozinhos. Precisamos dos nossos semelhantes para nos conhecer, pois de repente, é através daquela pessoa que me nega algo que tanto quero que eu vá descobrir o rancor, a ira, a vingança dentro de mim. Já no trabalho, outra pessoa me pode dizer que estou fazendo algo errado e que não vou ter aquela promoção, ganhar um cargo melhor, enquanto não melhorar isso ou aquilo, então vai descobrir o amor-
próprio, o orgulho dentro de mim, me sentir pra baixo, fracassada, etc.
Ex: Se estamos em cima de uma tábua e queremos colocá-la na parede, como vamos conseguir colocá-la se não saímos de cima. Lógico que tudo isso acontece normalmente em nossas vidas, pois sempre ficamos tão identificados com os acontecimentos que não percebemos essa 2a natureza dentro de nós, que é o Ego. Quando estamos com o orgulho ferido, acreditamos que somos apenas aquela pessoa que está magoada, quando estamos iradas, acreditamos que somos na verdade aquela pessoa irada e assim nunca nos conhecemos, por isso é tão importante essa separação, para que possamos nos ver frente a frente e descobrirmos realmente o que somos.
Podemos dizer o quanto é diferente observar de conhecer (passivo), pois geralmente sabemos que somos orgulhosos, invejosos, preguiçosos,
irados, mas sem auto-observação jamais conhecemos esse orgulho, essa
inveja, essa preguiça, essa ira dentro de nós, motivos estes que não sabemos, nem tão pouco fazemos esforço para mudar o nosso jeito de ser. È importante sabermos que na auto-observação, no momento que aflora um defeito, compreendemos instantaneamente o mau que o defeito nos faz e então conseguimos pedir a morte dele. Mas existe a observação mecânica, que é um defeito observando outro defeito e nesses momentos ao invés de pedir a morte, ficamos conversando, tagarelando e daí surge outro defeito e continuamos conversando, sabemos que é um defeito feio, mas criamos uma convivência com ele. Existe também a repressão do ego, vemos um defeito e
nos assustamos, por ex: estamos pensando em algo proibido, algo pecaminoso, e ao invés de pedir a morte, ficamos repetindo para nós mesmos que não queremos pensar naquilo, que é horrível, e fica tentando esconder até para si mesmo que existe tal defeito. Ex: Depois do almoço costumava deitar para tirar uma soneca, então tive informação que o sono após o almoço não é bom, então passo a querer controlar isso agora, então almoço e me dar àquela sonolência, aí fico falando para mim mesma, "não vou dormir que faz mal", vou fazer isso, isso, isso e fico ali fazendo outras coisas morrendo de vontade de deitar, mas não deito, porém sequer lembro-me de pedir a morte, pois estou apenas reprimindo aquele defeito que estar querendo me dominar, ou então vem a sonolência e como não estou em auto-observação, estou apenas procurando não deixar a preguiça me dominar, não pratico
a morte, então quando menos percebo, estou lá deitada no sofá dormindo. Já com a auto-observação, consigo fazer a morte do eu, e quanto mais me esforço para eliminar aquele defeito, menos domínio ele vai ter sobre mim, reflito: poxa, isso é a preguiça dentro de mim, nossa como ela é terrível, daí surge um arrependimento lá no fundo, então suplicamos a morte, daí vamos acabar fazendo o que necessitamos com vontade sem reprimir e aquela coisa não está mais nos dominando, tão pouco se deixa levar pelo defeito.
Para por esta auto-observação sempre em prática é preciso estar em recordação de si a todo instante.
Remorso # arrependimento, às vezes fazemos algo errado e nos sentimos mal, aí ficamos lamentando, querendo um buraco para sumir e não fazer mais aquilo, isto é remorso. Já o arrependimento surge e ao invés de lamentar, suplicamos com o coração para que seja eliminado aquilo que cometeu o erro.
Um segundo de auto-observação pode nos levar a uma verdadeira mudança em nossa vida, mudar o nosso destino.
Obstáculos para auto-observação: Mitomania é o delírio de grandeza. Egolatria é a crença num Eu permanente.
Paranóia é auto-suficiência, presunção.

sábado, 13 de fevereiro de 2010






                                           EGO,
PERSONALIDADE E ESSÊNCIA
Ego, Personalidade e Essência, com essa palestra
vão dá início uma compreensão do "observar".

Veja o anexo.

Então, nossa psicologia é dividida em 97% de Ego e apenas 3% de Essência, e a
personalidade é apenas o veículo de manifestação do
ego.


Ego é uma natureza inumana dentro de nós.
Ele é conhecido como os
defeitos psicológicos, Eu, Mim mesmo, Si mesmo, Sete pecados capitais, demônios
vermelhos, legião... O Ego pertence a quinta dimensão da natureza, é uma
energia densa e desordenada dentro de nós, as nossas trevas, os nossos
problemas. Ele pensa, sente e age dentro de nós.
Cada defeito,

é como se fosse uma pessoa diferente dentro de nós. O defeito da raiva se
manifesta totalmente diferente do defeito da preguiça, como da gula, como do
orgulho, como do medo, como da inveja, e assim vai. São realmente os desejos
infra-humanos que fazem parte de nossa psicologia e aprisiona tudo que há de
melhor em nós, a Essência.

http://gfx2.hotmail.com/mail/w4/pr01/ltr/i_safe.gifPersonalidade é um corpo termo eletro-magnético,
pertence a quarta dimensão da natureza. Ela se forma do zero aos sete anos, e
vai se fortificando com os hábitos da vida, os exemplos. Ela é filha do tempo,
nasce se desenvolve e morre com o tempo, mas isso só depois da morte. Ela é
como se fosse um molde específico para cada existência.

Essência é o que há de mais puro dentro de nós, a
parte Divina dentro de nós, nossas virtudes.
Temos apenas 3% de Essência
desperta, ainda assim, condicionados pelos agregados psicológicos, ou seja,
pelo Ego. À medida que vamos desenvolvendo a Essência, vamos despertando a
consciência, mas isso só acontece quando eliminamos os defeitos de dentro de
nós. A Essência é da sexta da natureza, por isso é eterna.

Ex: Quando uma criança nasce, ela nasce pura (só os 3% de Essência), sem
defeitos, o ego até já existe, mas não se manifesta devido que a personalidade
ainda não está formada, à medida que a criança vai aprendendo a dizer não, vai
se formando a personalidade e o ego surgindo.

Se não nos damos conta que esses defeitos existem dentro de nós, eles vão cada
vez mais se robustecendo e dominando nossa essência. É preciso observá-los e
eliminá-los para que nossa essência seja desengarrafada e assim nos tornemos
conscientes. Lembra Aladim e a lâmpada mágica? Isso é apenas um simbolismo a
nossa psicologia, quer dizer que devemos

limpar a lâmpada (personalidade) dos defeitos, para que a essência (gênio)
possa se manifestar e fizer maravilhas.

Pois é, se muitos homens fazem coisas maravilhosas usando apenas 3% de
Essência, imagine essa Essência crescendo, se desenvolvendo, se tornando 5, 10,
20, 50, 100%.

PS: Normalmente não usamos os 3% de essência (pois eles estão engarrafados no
ego), isso só acontece quando fazemos coisas que para os seres humanos é algo
do "outro mundo”, principalmente no mundo de hoje, como quando somos
capazes de ajudar as pessoas, perdoar, respeitar, fizer coisas com o coração e
etc. Também os que fazem grandes inventos, grandes descobertas, as pessoas
conscientes com o meio ambiente e outros.



Espero perguntas.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

O que é Gnose?







" Ó homem, conhece-te a ti mesmo, e conhecerás os Deuses e o Universo" - Inscrição no templo de Delphos, Grécia.





O que é Gnose?
Gnose
A palavra GNOSE ou GNOSIS significa sabedoria. É a busca por um profundo conhecimento de si mesmo e do universo. Esse conhecimento nos permite entender o que se passa em nosso interior, ou seja, nossos pensamentos, sentimentos e o porque de nossas ações; e também saber mais sobre tudo o que está ao nosso redor, sobre as pessoas, as plantas, os animais...

Quantas vezes já ouvimos ou nos fizemos as perguntas: Para que estamos vivos? Porque existe o mal no mundo? O que acontece depois da morte? Estudando a gnose poderemos encontrar resposta para estas questões, e ainda, melhorar nosso relacionamento com as outras pessoas, ter mais saúde, e o que é mais importante: encontrar o equilíbrio interior.
Esta sabedoria não é de hoje, é tão antiga quanto à própria humanidade. É capaz de mudar a nossa vida e está esperando por nós em suas quatro colunas: Ciência, Filosofia, Arte e Mística.
Ciência é a investigação, comprovação. É desvendar os mistérios da vida e da morte, verificar as leis que regem a natureza, descobrir outras dimensões. Para isso, não precisamos de microscópios ou fórmulas, mas sim, de capacidades naturais do ser humano, como o desdobramento astral consciente, a concentração, a intuição, a clarividência. Poderes hoje atrofiados, mas que com esforço podemos desenvolver.

A Filosofia nos propõe dois caminhos: SER ou NÃO SER? Escolher o Não Ser, é optar por viverem presos aos nossos medos, dores, angústias, ressentimentos, apegos, etc. Ao invés disto, podemos escolher o caminho do Ser, e encontrar a verdade que está escondida em cada um de nós, o nosso Íntimo.

Já nas obras de Arte, o artista expressa aquilo que leva em seu interior. Se o artísta é um Mestre, pode nos transmitir uma grande sabedoria. Aprendendo a apreciar os quadros de Leonardo da Vinci, a sinfonia de Mozart, as esculturas gregas, vai descobrir o ensinamento que está ali oculto, e sentir emoções sublimes, superiores.

E quando nos referimos a Mística, falamos de nossa união com o Divino que há dentro de nós, o nosso Real Ser. Ser místico é poder conversar com os Anjos, é saber meditar,





Revolução da Consciência.
Os três fatores

Os Três fatores de REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA são ensinamentos que nos podem autorgar, a real auto-realização íntima do SER.
Em sua ordem, estes ensinamentos são: Morte dos defeitos, Alquimia e Sacrifício pela humanidade.
A Morte se relaciona com a eliminação de todos os agregados psicológicos que em nossa psique carregamos os chamados "EUS".
A Alquimia Sexual se relaciona com a construção de corpos existenciais superiores, para a manifestação do SER.
E o Sacrifício, é a divulgação deste ensinamento, de forma gratuita, para todos os seres humanos.
Jesus resume os Três fatores na seguinte frase, em Marcos, "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz, e siga-me".
Interessante notar, que todo o conhecimento crístico do grande Jesus de Nazaré, tem sua síntese maravilhosa no conhecimento Gnóstico.

Bom, espero que  que isso não te assuste, mas no decorrer, vou te explicando, pois tudo tem uma razão de ser.
Te adianto que a gnose dá todos os métodos para um verdadeiro autoconhecimento.
http://gfx2.hotmail.com/mail/w3/ltr/emoticons/star.gifAberto às perguntas.