sexta-feira, 23 de julho de 2010


A Concentração e a Meditação
A Concentração é básica e fundamental para todas as práticas que são dadas pelo Mestre Samael. Nenhuma prática dá resultado quando nossa mente voa por todas as partes. Que acontece? Nós a estamos fazendo mecanicamente. A concentração e a imaginação devem trabalhar de acordo. De modo que, pois, a concentração a ocupamos para tudo. Então, necessitamos educar o corpo físico e a mente para isso.
Por exemplo, vocês querem ir a uma Pirâmide, a um templo, ou para se entrevistar com um Mestre. Concentram-se e, ao adormecer, vão diretamente lá onde estão concentrados. Vão diretamente, não se detêm em nenhuma parte.
Essa é a maneira mais rápida da informação. É essa! Para investigar qualquer coisa, concentre-se e já está investigando o que se necessita; então temos que dar a essa prática a importância que tem. Não devemos deixá-la para amanhã, senão começar duma vez uma disciplina, para nos poder educar para a concentração. Porque, vejam, para a meditação necessitamos concentrar-nos primeiro, que haja um só pensamento.
Então, de repente lhe aparece outro pensamento..., a dualidade. Então se descartam juntos e se entra para a meditação. Para a dualidade se busca a síntese ou o oposto. A síntese e se descarta. Então, a mente fica em branco.
Então, para a meditação necessita-se também da concentração. Necessitamos é educação. E, ponham muito cuidado, qualquer um de vocês que comece verdadeiramente a praticar, a fazer as práticas que são dadas pelo Mestre Samael, com concentração, dedicação no que se está fazendo, triunfa!
A prática mais fácil para chegar a meditação, ou seja, à quietude e ao silêncio da mente, são os Koans: “ Se chocamos as duas palmas das mãos, produz-se um som. Sim? Que som está produzindo esta sozinha? (Com uma só mão?) Se alguém o sente que o diga. Alguém sente esse som?  Não!
Bem, faz-se uma, duas ou três vezes para escutar esse som que é produzido pelas palmas das mãos ao se chocá-las; e se faz uma ou duas vezes, tratando de escutar... E adormeça-se, tratando de escutar esse som que é produzido por uma só palma da mão. Temos que dormir, porque a meditação é acompanhada de sono. Se não há sono, não há meditação, porque há distração. Quando se libera a essência pela primeira vez e entra no mundo causal, há uma grande festa, todas as grandes hierarquias gritam em coro: “Que se faça um Turya!” Turya é consciência contínua. Aprender a estar consciente, para se mover com essa essência consciente. Isso é despertar a consciência à essência. Chama-se Turya. Uma essência consciente é um Deus capaz de investigar tudo o que queira. É um Deus!
 Vai se aumentando por graus; à medida que se pratique, vai aumentando mais, e mais e mais a consciência.
Outro Koan: “Sabemos que todas as coisas se podem reduzir à unidade. Tudo pode se reduzir à unidade. A que se reduz a unidade?” É um problema para a mente que não se encontra resposta. Isso é um Koan. 
Outro Koan: Que faria você ao aparecer instantaneamente numa árvore muito gigante, agarrado, numa corda, sustentado lá com os dentes, atados os pés e as mãos. Que faria você para não morrer? Se gritar, se mata. E é para não se matar. Que faria você nesses momentos? Se falar, se soltar, pois se matou! Se se solta... Porém não é para se matar! O problema é esse.
Até aqui foi extraído do livro A Águia Rebelde (V.M. Rabolu)


A Ciência da Meditação é uma ciência muito antiga, pode-se dizer que poucos tiveram o privilégio de conhecê-la, mas sempre esteve ao alcance de todos, porém nem sempre deram importância para a melhor forma de se descobrir a verdade.
Não ter nenhum pensamento vem a ser muito útil para comprovar a verdade.
Meditar é não pensar em nada, é conseguir colocar a mente em branco.
Por isso falamos sempre da necessidade de eliminarmos o Ego para que possamos despertar a consciência, sermos mais objetivos, pois quanto mais eliminamos nossos defeitos mais dominamos nossa mente.
Com a Meditação a Essência se libera dos corpos inferiores: Vital, Físico, Astral e Mental, e entra nos Mundos Superiores.
A Verdade não pode ser explicada pelas palavras, tem que ser experimentada.
A Meditação serve para dá força ao trabalho íntimo, Alimento da Alma, ajuda no despertar da consciência, pois já sabemos que só a Morte do Ego é que realmente desperta a Consciência. Mas se há uma conciliação de Morte do Ego e Meditação, então, pode-se dizer que há um despertar de Consciência direta e maravilhosa.
A Meditação é uma experiência direta, onde se comprova a Verdade e jamais se esquece. Só com a Meditação se experimenta o TAO, o Vazio Iluminador, o Absoluto.


Um comentário:

  1. Adorei o artigo!
    Meditar realmente é isto... E uma das melhores e mais eficazes formas de nos conectar com nosso "divino interno".

    Bençãos Plenas da Grande Mãe!

    Pandora

    ResponderExcluir